Capitulo 9 - Os 7 Principios do Homem

Antes de estabelecermos as regras práticas para se conseguir extrair o melhor de nossas vidas, é necessário conhecer um pouco melhor quem somos e como funcionamos.

Faremos isto de maneira menos cientifica do que foi explicado nos capítulos anteriores, porque chegamos nos limites da ciência do século XXI.

Para isso vamos mergulhar na concepção mística dos 7 Princípios do Homem e usaremos a maravilhosa analise do Ocultismo.

Mesmo para aqueles que a esta altura ainda não dão credo ao misticismo, o esquema formado por estes 7 Princípios descritos por Annie Besant em 1909 é de tal maneira belo e lógico que muito nos ajudará na formulação de nossas regras práticas de vida.

Segundo Annie Besant (foto) que os compilou e os estudou no inicio do século, os “Princípios” podem ser definidos como componentes da estrutura universal que forma um ser humano.

O 7 Princípios, como aqui descritos, abarcam desde o componente puramente material até o puramente espiritual.

Podemos usar a metáfora das camadas de uma cebola para melhor visualizar como os princípios se estruturam para formar o ser humano.

1- Principio Físico.

O primeiro princípio, puramente material, é o princípio Físico.

É o que todos nós conhecemos como corpo humano. O que os médicos estudam e tratam de manter em bom estado de saúde.

Pode ser considerado como o “chassis”, a estrutura básica.

Não há muito o que falar dele pois é nosso velho conhecido. Nasce, cresce, engorda, emagrece, adoece, se cura, envelhece, morre, se decompõe depois da morte e desaparece.

2- Principio Astral (Duplo Etéreo)

É uma cópia fiel do corpo Físico porém de matéria muito sutil e invisível. Enquanto o físico vive, o Duplo Etéreo está sempre ligado nele pelo menos por um tênue e delgado fio. Pode se afastar do corpo físico, porem continua sempre ligado a este pelo fio.

Pode se entender melhor o Principio Astral (duplo etéreo) se relembrarmos o Principio Shiva-Shakti se decaindo em freqüências cada vez mais baixas até se tornar matéria física. Se voltamos atrás um descaimento apenas, estaremos no plano Astral, ou seja, o Duplo Etéreo é o corpo humano, formado de matéria sutil. Ele serve de ponte entre o nosso corpo físico e os planos superiores. Tem sua importância e influencia em nossa saúde, pois, qualquer irregularidade neste duplo etéreo, se reflete em doença no corpo físico e vice versa.

Ele atua bastante nos fenômenos de sincronicidade e clarividência, pois o duplo pode se comunicar livremente através do plano astral, através da PES (Percepção extra-sensorial). O médiuns e clarividentes, simplesmente tem melhor controle sobre seus duplos do que as pessoas comuns.

3- Prana (O sopro de vida)

É o princípio que representa a parte vital do homem: Vida. É a parte absorvida da Vida universal. O que faz o corpo físico funcionar ativamente através do corpo astral. Sem este principio ambos os corpos físico e astral morrem e se decompõem.

4- Kama (O instinto)

Também chamado de desejo animal, representa a nossa inteligência primitiva. É o que comanda nossas necessidades animais tais como sexo, fome, sede, necessidades fisiológicas, raiva primitiva, ódio, amor primitivo, inveja, agressividade, medo, instinto de sobrevivência, etc.

É o animal que existe dentro de nós. A inteligência primitiva que nos mantém com os “pés no chão”, como dizem os céticos quando querem dar valor ao real em detrimento do místico. Kama provoca-nos a ilusão da materialidade grosseira e nos impede de ver claramente a espiritualidade. O que vale para este princípio é a força bruta, os desejos carnais, animais. O famoso Sutra das posições sexuais, o Kama-Sutra, tem seu nome justamente por tratar do desejo sexual animal deste princípio.

Unido à parte inferior do próximo princípio, Manas, a Mente, resulta na nossa inteligência básica, racional, que nos diferencia dos animais.

Até agora constituímos o que se chama de Quaternário do Homem, que é a sua parte meramente física, mortal, formada pelos quatro princípios referidos acima.

5- Manas (O Pensador)

Este Princípio representa a conexão com o divino, a faísca de Brahman hospedando-se na carcaça recém formada de tecidos vivos e estruturada racionalmente. É o hospede, o Eu verdadeiro do Ser. Ele se instala para poder evoluir através das experiências que este corpo lhe proporcionará. Seu objetivo maior, vivenciar tudo e aprimorar-se para poder voltar a se fundir com Brahman. Sendo de estrutura não material, ele usa do artifício de se dividir em duas partes: A primeira, o Manas-Inferior, mais grosseiro porém ainda muito rarefeito, se embebe nas células nervosas do corpo astral (o duplo), principalmente nas do cérebro, para utilizá-las. Através do corpo astral, se liga ás células correspondentes do corpo físico. Juntando-se a Kama, cria o Kama-Manas, que provoca o surgimento da mente racional humana, que nos faz pensar racionalmente e tomar decisões baseadas não somente no instinto, mas também na razão, a mente intelectual.

Esta influência de um Princípio não-material, não físico, num corpo físico, que é o nosso quaternário, se dá através de vibração, ou seja, Manas-inferior ao se aproximar (sem tocar) das estruturas do corpo astral, fá-las vibrar.

Assim como Manas influencia a Kama, o contrário também acontece com Kama influenciando a Manas e criando, ou melhor realçando, os desejos e satisfações carnais tais como as fantasias sexuais, as lembranças, o desejo de gloria, de reconhecimento, o egoísmo, etc.

É o que se chama de intelectualização dos desejos animais.

Dependendo da estrutura física do sistema nervoso do ser, que é resultado do Karma de outras vidas, o Manas poderá ou não executar plenamente suas potencialidades, resultando a personalidade do ser, num intelectual famoso ou num idiota primitivo.

Se nos lembrarmos dos peptídeos, as moléculas da emoção, vibrando ao encontrar seus ligantes, parece que tudo se encaixa perfeitamente. Ciência e misticismo caminham paralelamente...

A segunda, o Manas-Superior, é o principio puro, o Eu verdadeiro, a faísca de Brahman. Na verdade, não se pode falar em apenas dois Manas, o inferior e o superior. Existem infinitas graduações de Manas partindo desde o mais inferior ligado a Kama e influenciado por este, até o mais puro Manas, ligado ao criador.

A luta entre Kama e Manas, um tentando dominar o outro, é a luta do homem em sua caminhada pelas sucessivas reencarnações, até que finalmente, Manas vencerá e subjugará Kama, libertando o livre arbítrio para o homem.

Kama é o desejo, Manas é a vontade (Lembram-se de Shiva ?).

No homem primitivo o desejo subjuga a vontade e mata o livre-arbítrio.

No homem em evolução, ora vence um, ora o outro.

No homem em iluminação, a vontade vence na maioria das vezes, mas ainda há momentos de duvida.

No iluminado, Manas toma conta de Kama e brilha em todo o seu esplendor, não há recaídas. A vontade e a clarividência divinas é que comandam. Neste estágio, com Manas em seu topo, libera-se a comunicação total com o Cosmos, o Criador.

6- Buddhi (O Espírito)

É o principio de comunicação, o veiculo pelo qual a divindade se conecta ao individuo criado por Manas. O Eu verdadeiro do Manas superior é conectado ao principio máximo (Atma) do Criador através de Buddhi, o Espírito Puro, formando a tríade do Homem, como no Cristianismo se configura acertadamente: O Pai (Atma), O Filho (Manas) e o Espírito Santo (Buddhi).

Manas Superior se une a Buddhi e facilita a comunicação com o divino.

Podemos dizer que enquanto Manas Inferior unido com Kama faz surgir a razão e por conseguinte o estudo racional, a indução de teorias e a dedução lógica, o Manas Superior, unido a Buddhi, faz surgir a intuição, o conhecimento direto do Divino, da verdade do que é porque é, e assim foi visto. A verdade vista pela visão ampliada propiciada por Buddhi, não é a verdade “deduzida” por Kama-Manas. É a verdade divina. (que não se iludam os leitores: o que estamos fazendo neste livro não chega nem aos pés de Buddhi, é pura dedução tipo Kama-Manas)

Lembram-se de Lao Tsé : "O Tao que pode ser descrito não é o verdadeiro Tao !"

A verdade divina de Budhi só pode ser conhecida experenciando-a, vivendo-a !


7- Atma ( O Deus Interior)

É o princípio que atua como parte de Brahman dentro ou sobre o homem. É a nossa ligação com Brahman.

Unido a Buddhi, forma o Atma-Buddhi que corresponde à Monada, o pedaço ou faísca de Brahman que se encarna e individualiza no homem através de Manas, para tudo experimentar e assim se tornar onisciente e onipotente.

É o Deus interior que todos temos.

Assim completamos a descrição dos 7 Princípios do Homem.

Não sei se foi notado, mas neste estudo foi utilizada a mente lógica de Kama-Manas Inferior, para trazer o leitor ao entendimento lógico dedutivo de como funcionam os princípios. Isto não basta para iluminar-se, e sim apenas para explicar logicamente, quase que cientificamente, como funciona a Iluminação. Buda (O Iluminado) conseguiu se iluminar através da negação dos desejos, pelo caminho do meio. Se não fosse pelo caminho do meio, não se iluminaria, pois, qualquer radicalização leva Manas ao inferior Kama-Manas. Traduzindo: não é permitido nem ter desejo de não ter desejos!



Fig. Esquema : Os 7 Princípios do Homem





Pergunto: Onde você se colocaria no quadro acima ?

Um comentário:

Anônimo disse...

I will be your frequent visitor, that's for sure. pain relief Read a useful article about tramadol tramadol

Plaxo Badge